SINDICATOS DECIDIDOS - Direito à recuperação do tempo de serviço - 11.09.2018

No passado dia 7 de Setembro as organizações sindicais, organizadas em plataforma, reuniram com o Ministério da Educação (ME), tal como tinha ficado acordado na reunião de natureza técnica sobre a carreira dos professores, realizada no dia 25 de julho.

Esta reunião de 7 de Setembro deveria ser a primeira de um processo negocial conforme acordado com a Sr.ª Secretária de Estado Adjunta e da Educação.

Mais uma vez, o governo defraudou as expectativas e deu, unilateralmente, por terminado o processo negocial, não sem voltar a comprometer-se a entregar aos sindicatos os dados que permitem um cálculo rigoroso dos custos com a recuperação dos 9 anos, 4 meses e 2 dias.

Continuamos a aguardar, entre outros, os seguintes dados:

  1. o número de professores que irão aposentar-se nos próximos anos;
  2. mês da progressão de cada docente;
  3. quota a estabelecer anualmente para progressão de docentes aos 5º e 7º escalões da carreira.

Os custos apresentados pelo governo para a recuperação do tempo “congelado” são irreais e carecem de justificação que, naturalmente, o governo não pode apresentar, pois não fez os referidos cálculos, tendo em atenção os dados objetivamente necessários.

A falta de rigor do Governo dá razão à contestação dos Sindicatos.

Devemos, TODOS, dar o nosso melhor na luta que vai continuar!

As organizações sindicais de professores e educadores
ASPL – FENPROF – FNE - PRÓ-ORDEM – SEPLEU -
SINAPE – SINDEP – SIPE – SIPPEB - SPLIURRR

 

Imprimir